Por Alysson Silva

 

Nota: 9/10

 

A trama mostra todo o desenrolar de uma população completamente em órbita e frenesi após o sumiço de Rubio, um marinheiro que saiu no mar com o seu barco e não mais retornou. Um naufrágio ocorre na Galícia, Espanha e é ali que o homem adentrou e assolou o mar e os peixes. Além do seu trabalho no vilarejo ele vinha de resgatar vidas, pois conhecia o mar como ninguém e os moradores sofrem sem a presença dele. As horas e os dias parece que paralisaram tudo e a todos. Os habitantes estão todos inertes a qualquer reação ou no que acontece ao seu redor, como se estivessem presos sem poder continuar com suas vidas. Eles pensam, raciocinam e conversam sozinhos ou entre si. Mas só ouvimos as suas vozes e os seus pensamentos ecoando por suas memórias e lembranças. Eles só pensam em uma coisa: na Lua Vermelha que se trata de uma maldição que persegue a todos e que manda no monstro que vive nas águas do mar. Três mulheres descem das montanhas e chegam até eles com a intenção de ir atrás do marinheiro. Com o sumiço dele a única esperança de resgata-lo são as bruxas evocarem a lua vermelha para que o monstro possa devolve-lo e assim tentar conter a maldição do vilarejo. 

A direção é do Lois Patiño, que já tem uma certa experiência em curtas-metragens e aqui faz a sua estreia nos cinemas. Ele que já atua no gênero drama, mistério e ficção, nessa produção ele mostra toda a sua sensibilidade ao contar um conto sobre simbolismos, magia e criaturas de outro mundo. Seu comando é delicado, tirando todas as nuances necessárias para contar essa história. Por se tratar de um filme que envolve muito mistério, teve o árduo trabalho para fazer com que os seus personagens tirassem tudo de si e dando o seu melhor nas cenas. Uma direção bem continua, sólida e eficaz que deixa o expectador interessado com o que se está assistindo. 

Foto de Divulgação

O roteiro também escrito por Patiño,  parte do principio de contar uma história sobre simbologias místicas, com criaturas, monstros e maldição envoltos de muita misteriosidade, mensagens e significados. Spoilers a seguir: No primeiro ato vemos o marinheiro Rúbio sumir no mar e por mais que ele conhecesse bem a região ele de fato foi sucumbido pelas águas. O seu intuito de entrar nas águas era ir atrás do monstro que não só perturba a sua paz como dos moradores da região, vendo cada vez mais corpos aparecerem mortos pelo monstro. A lua manda no monstro e Ele foi caça-lo. A população sente que já se passaram mil anos sob o comandos da lua vermelha. Eles se mostram tristes, inquietos e cada um enfrentando o seu luto. A mãe de Rubio invoca para que as bruxas traga o seu filho de volta, e consegue contato com o seu filho, que promete para ela que vai voltar. 

A narrativa nos apresenta belas locações e paisagens, são mostrados objetos, cores fortes e escuras. Os personagens estão com uma certa paralisia onde eles não se mechem, estão paralisados e a pensar no que está acontecendo em suas vidas. A trama traz muitos simbolismos e sentimentos viscerais dos habitantes da Galícia. Nesse vilarejo as bruxas estão presentes e prontas para cumprir uma missão encontrar o corpo desaparecido de Rubio. Em um culto a magia negra, elas tentam se comunicar com a lua em busca de respostas. Com muitas passagens escuras só com a iluminação da lua que não para de observa-los. Conforme a história vai ganhando o seu rumo somos envolvidos por todo o seu mistério e tensão. 

Foto de Divulgação

O enredo nos faz muitas perguntas e com poucas respostas. Vemos os moradores tendo que conviver com a represa despejando dejetos nos mares, poluindo as águas e prejudicando a pesca e a população. O mar é o monstro que está dormindo há séculos e que pode acordar a qualquer momento. O marinheiro já a 13 dias sumido e segue preso em suas águas como se o monstro não quisesse devolve-lo. Os habitantes estão sendo punidos pelas atitudes e ações do Rubio. Tire o folego da morte e deixe o folego da vida, é uma espécie de mantra e oração que eles precisam dizer. O monstro está ali presente, e todos observam a sua presença, e sentem coagidos, presos e sem ter como e para onde fugir . Durante todo esse acontecimento, sentem na pele todo o mal, a negatividade e a maldade que o olho do monstro controla a todos. A cada maré alta trazia Ele de volta e a cada maré baixa o engolia novamente. Eles já perderam a noção do tempo e não sabem quanto tempo estão nessa situação. 

A lua Vermelha é um longa dramático que usa de artifícios para contar um conto de monstros e criaturas com uma história que conecta com o seu público. Um filme com ritmo lento e que requer atenção nos detalhes, objetos e todos os significados que Lois quer nos passar. No segundo ato vemos os personagens ligados em um sonho que mescla com a loucura e o que não é real. O monstro se mostra real quando ele respira a morte, evocando a morte e o sangue. As respostas começam a serem reveladas quando vemos as bruxas fazendo um ritual em culto a lua vermelha. As consequências desse ato é ter o corpo de Rubio devolvido do mar, mas isso teve um preço. A lua retirou o sangue dos seus prisioneiros e trouxe o marinheiro de volta a vida. Lúa Vermella no original se trata de um conto de horror, repleto de imersões para a mitologia, surrealismo e significados atemporais. A história nos traz duras críticas sobre a poluição, tons climáticos que deixam os personagens imóveis e reféns desse caos. 

Foto de Divulgação

O roteiro é cheio de mensagens enigmáticas, simbolismos e crenças religiosas . Considero como um filme de arte que traz uma história original em torno de uma identidade mitológica. Os atores aqui não são atores profissionais e estão como imersos em um mundo solitário cada um parado quase que como estátuas. As filmagens mostra os personagens sempre distantes uns dos outros e com pouquíssimos diálogos feitos em voz alta e o expectador só recebe os seus pensamentos, como se fosse um monólogo.

Um elemento importante e crucial presente na narrativa são as bruxas que em determinado momento aparecem vestidas só por lençóis brancos como se quisesse emanar fantasmas para confundir e enrolar os moradores sobre o que é realidade é o que é fantasioso. No terceiro ato temos a lua coberta de sangue e como que com uma explosão lunar vemos ela ficando de fato totalmente vermelha e iluminando todo o céu, mares, objetos e a população, concluindo o ritual  de ativação da hidroelétrica da força das águas de encontro ao mar que vai hipnotizar e acordar o monstro das águas. Com um visual belíssimo vai hipnotizar você e te deixar encantado.