Por Alysson Silva

 

 

Hoje em dia com o avanço tecnológico das redes sociais, é muito fácil você criar uma conta, postar fotos e se expor nas redes. O que a tecnologia pode ajudar a você ganhar seguidores, mostrar o seu trabalho nas redes, e até talvez ficar famoso, também possui o seu lado negativo, ao ponto de toda a sua vida estar exposta. O que pode acabar prejudicando a sua vida e carreira, quando você acaba se expondo demais. Atualmente existe muito filtro do que você deve ou não publicar na internet, porque nem tudo o que você postar, irá agradar o seu público, e as críticas podem surgir, ao ponto de você se sentir mal e acabar ainda em algo pior como: depressão, ansiedade, medo etc. Muita gente mostra o lado alegre e feliz da sua vida, seja na vida pessoal ou profissional e é aquela coisa, os seus seguidores irão ver aquilo que você quer mostrar, a imagem que você quer passar para eles, nem sempre vai coincidir com a realidade, por muitos criarem personagens, que na vida real está totalmente fora da realidade. Redes sociais como Instagram, youtube, tiktok é o ganha pão de muita gente, inclusive atores, artistas, personalidades. E com a fama vem as consequências algumas boas e outras ruins.

E aqui no longa da Polônia “Suor” (Sweat no original) fala sobre isso, ao abordar a vida de Sylwia, uma mulher contagiante, animada e incentivadora do seu publico, onde trabalha como personal trainer e influenciadora digital com mais de 600 mil seguidores, muito ativa nas redes, sempre trazendo sobre treinos e alimentação. E os seus fãs sempre ansiosos por suas dicas sobre exercícios físicos e um estilo de vida mais fitness. Apesar de tantos admiradores, conhecidos e funcionários fiéis, ela procura uma relação de intimidade verdadeira e que tenha algum significado com alguém. Durante os próximos três dias em que acompanhamos o dia-a-dia de Sylwia, a narrativa do filme se pergunta como é a vida dos digital influencers quando o celular está desligado, observando seu tédio, tristeza e solidão.

Foto de Divulgação

 

A direção fica a cargo de Magnus Von Horn, que também assina como roteirista nessa produção. Ele possui em seu currículo trabalhos menores e mais independentes, em boa parte curtas-metragens. A direção dele é correta e conseguiu desenvolver bem os seus atores de forma que deu o tom certo dentro da narrativa, mas sem grandes surpresas ou explosões. O lado seguro em sua obra que traz uma certa relevância para o seu elenco e em suas atuações.

No elenco temos a protagonista vivida por Magdalena Kolesnik que já participou de muitas séries de tv e longas metragens aqui vemos a atriz bem entregue em cena. Ela soube conduzir bem a sua personagem e todas as suas atribulações de forma bastante realista e convincente, passar para o expectador todas as nuances que a personagem está vivenciando, é de uma delicadeza e encantamento. Ela está esplêndida em cena, em seu primeiro grande papel no cinema, sem dúvida iremos ouvir muito falar sobre ela. Seu parceiro de cena o ator Julian Swiezewski que interpreta o personagem Klaudiusz, pôde ser visto anteriormente no longa “Nina” (2018). Aqui ele possui uma participação pequena, mas sua química com a personagem título é bem notória e nas cenas as quais aparece tem um bom destaque. Completando o elenco temos os atores Tomasz Orpinski que dá vida a Rysiek e Aleksandra konieczna que dá vida a mãe da protagonista. Eles possuem um papel importante no enredo ao qual se encaixaram bem.

O roteiro nos mostra como uma vida exposta nas redes sociais pode causar sérios problemas e consequências. Primeiramente somos apresentados a Sylwia, uma mulher decidida, forte, alegre e divertida que ama o que faz, dar aulas de ginástica e aeróbica, sendo uma instrutora fitness que além de cuidar do seu corpo passa para seus seguidores e admiradores os seus ensinamentos para ter o corpo que sempre desejou. Ela contagia todos ao seu redor com todo o seu carisma, sorriso no rosto e muita alegria. Além do seu trabalho, se mostra bastante presente na internet, fazendo lives, mostrando seus treinos, seus recebidos das empresas parceiras e seu cardápio de alimentação saudável.

Foto de Divulgação

O filme nos faz a seguinte pergunta: Quem precisa de amigos quando você tem 600.000 seguidores. O enredo nos mostra o lado B, o por trás da tela do celular quando a influenciadora digital não está perante as câmeras. Será que ela é a mesma pessoa que se mostra nas redes? Ou é só uma capa onde vive para não mostrar suas fraquezas e seus medos. E é isso que o longa de Magnus nos passa. Para o seus seguidores Sylwia é uma mulher forte, feliz e independente. Mas por trás de todos os olhares de seus fans vemos a mulher da vida real, que possui uma vida fora das telas onde ela se sente sozinha e com muita solidão. Após ela expor sobre sua vida intima nas redes onde apareceu para seu público chorando e se mostrando infeliz na vida amorosa, tem sua vida afetada e prejudicada. Mesmo tendo esse vídeo viralizado. O seus patrocinadores a criticam por expor sobre sua vida pessoal. O que para eles era uma insegurança, fraqueza ou carência, para ela foi um desabafo instantâneo do momento atual em que vive.

O enredo faz uma crítica para a sociedade que faz cancelamentos, que julga a pessoa pelo que se vê nas redes, quando a mesma nem sempre tem o direito de resposta. A influencer fitness é independente, mora sozinha com seu cão de estimação, onde o leva praticamente para todos os lugares por quais precisa ir. Por mais que se pareça que ela é feliz, ela não é feliz por completo. Primeiramente por já ser uma mulher que sabe o que quer da vida, e tendo uma renda estável, lhe falta um amor, um verdadeiro amor. Um homem ao qual ela quer ter uma vida, construir uma relação e uma vida juntos. Sylwia tem uma vida regada a tristeza e solidão, mesmo sendo uma mulher bonita e que tem tudo o que o dinheiro pôde lhe oferecer. Com todos esses problemas e atribulações ela sofre mais um baque ao ser assediada por um homem mais velho e passa a ser perseguida por esse stalker.

Foto de Divulgação

Quando você tem sua vida exposta nas redes pode trazer coisas boas e ruins e o assédio é algo que acontece com muita frequência com as mulheres por todo o mundo. E aqui vemos todo o psicológico da protagonista tendo que lidar com isso e seus outros problemas já pré existentes. Sylwia possui muita força de vontade, mesmo com a tristeza se instalando e vivendo sozinha, ela tenta seguir em frente focando todas as suas atenções para a academia e os cuidados com o corpo. A sua mente mesmo em pedaços tenta se reconectar com sua família ao qual pouco convive e tem de lidar com sua mãe ao qual tem dificuldades em entender as atitudes da filha com relação ao assédio, e vemos nesse momento uma crítica social para a mídia e a sociedade em si que culpa a vítima pelo assédio e não culpa o seu agressor, algo que acontece muito na vida real e que abala a vida de muitas pessoas, o que pode desencadear muitas vezes a depressão.

O título “Suor” (Sweat) no nome original que traduzido significado suor, no longa se trata do treino especifico da influencer para os seus clientes suarem muito e queimar calorias indesejadas, além de ter dvds vinculado com o seu treino, apresenta o seu treino em shoppings e pela internet em suas redes sociais. Ela se sente deslocada em sua reunião de família e mostra que o mundo fitness não é esse colorido e alegre que todos acreditam ser. Como toda e qualquer mortal uma hora se bate o desespero e se vendo perseguida ela resolve usar seu colega de profissão para espantar o seu seguidor stalker e é onde vemos todas as consequências que esse ato impulsivo dela trará não só para a sua vida como a todos a sua volta. 

Foto de Divulgação

A história é um retrato atual sobre todo o lado obscuro da exposição nas redes sociais, e de como lidar com as adversidades que a fama pode lhe trazer e tirar proveito e filtrar o que for bom e ruim para a sua vida e poder seguir em frente de cabeça erguida e com os pés no chão. É um filme pesado, difícil e doloroso por abordar temas que mexem com o nosso psicológico e por retratar tão bem a vida real , onde a solidão, ansiedade e tristeza estão lado a lado.

O enredo mostra todo o desenrolar de uma vida sem amigos e da mais profunda vida vazia e sem a tão estimada felicidade que todos buscam. A protagonista passa uma imagem de uma mulher guerreira, mas no fundo ela é uma pessoa que quer atenção, carinho e amor. Ela apesar de ter todos os holofotes em torno dela, se sente muito sozinha e quer ter um companheiro com quem possa crescer com ela. Mesmo com esse desejo ela não precisa de um homem para ser quem ela é e mostra o quanto ela tem personalidade própria, e não depende de outra pessoa para ser uma mulher independente e empoderada. E saber reconhecer as suas fraquezas e lutar por dias melhores, faz dela uma mulher melhor, onde pode amadurecer, evoluir e rumo a sua própria felicidade.

O filme estará presente na 44 Mostra Internacional de Cinema de São Paulo desse ano, que terá sua exibição online a preços populares, a partir do dia 22 de outubro.