Por Alysson Melo

 

Escritora Lilian Peixe mescla ficção e fatos históricos brasileiros para contar a história de Inês, jovem protagonista da obra “Contumélia”

Sinhazinha, dama de companhia, baronesa… essas e outras denominações tradicionais do Brasil Imperial situam a narrativa de Contumélia, produção de Lilian Peixe. Além da independência do seu país, Inês luta pela liberdade do seu futuro. Em meio a situações difíceis que decidirão o rumo de sua vida, a protagonista se vê obrigada a casar com um homem pelo qual não está apaixonada.

Indecisa sobre como escapar dessa união imposta por sua madrinha, Dona Constância, a jovem é surpreendida por uma viagem repleta de aventuras enigmáticas que prometem mudar para sempre o seu destino e o de sua melhor amiga, Teresa.

Nessa jornada, as jovens vão cruzar com o homem mais procurado de Paraibuna – acusado de assassinar o Barão Araribá! Tão charmoso quanto perigoso, esse misterioso homem vai transformar totalmente o mundo de Inês.

“- O que foi? Não há encanto maior que o do amor proibido. A troca secreta de bilhetes, as poesias colocadas embaixo da porta, as rosas deixadas diante do portão. É maravilhoso, não é? A emoção, o coração disparado, a loucura de acreditar que nada ficaria entre nós e a certeza cega de que eu não poderia sobreviver se não ficasse com ele.” (Contumélia, pág. 223)

Contumélia é narrada em primeira pessoa a partir da perspectiva de três personagens centrais: Inês; Teresa, sua melhor amiga; e André, o misterioso rapaz. É com esse diferencial que Lilian Peixe apresenta uma escrita jovial, divertida e apaixonante, misturando suspense e romance na medida certa.

Ficha técnica
Título: 
Contumélia
Autora: Lilian Cristina Peixe
Páginas: 248
Formato: 
E-book
ISBN: 978-65-900592-0-8
ASIN: 
B07JW16ZQ1
Link para compra: Amazon

Sinopse do livro: Inês é uma jovem desesperada! Ela completou 16 anos e D. Constância, sua madrinha com quem mora, decidiu que ela precisava de um noivo. O problema é que, miseravelmente, D. Constância escolheu um pretendente absolutamente intragável, o Sr. Macedo. Agora, a única esperança de Inês, para não acabar casada com alguém que ela não suporta ou ir para um convento, é o súbito interesse que Henrique, um velho amigo da família, passou a demonstrar por ela. Contudo, ela não sabe se as intenções dele são realmente sérias e, antes que possa descobrir, é enviada numa viagem inesperada para o noivado de sua prima Cecília, em Petrópolis.

Assim, em meio ao burburinho causado pelo misterioso assassinato do barão de Araribá em Paraibuna, Inês e sua espirituosa companheira Teresa acabarão envolvidas em inusitadas e perigosas aventuras.