Por Alysson Silva

 

Protagonizado por Antônio Pitanga, o filme foi o único latino americano na seleção de Cannes de 2020 e está na programação do 44o Festival Internacional de Cinema.

 

CASA DE ANTIGUIDADES, de João Paulo Miranda Maria, acaba de receber o ROGER EBERT AWARDS DO FESTIVAL DE CHICAGO, destinado a revelar novos talentos e vozes no Cinema Mundial, o prêmio leva o nome de um dos maiores críticos norte-americanos e que também é conhecido por ter revelado Martin Scorsese em 1967, entre outros diretores que fazem parte da história do cinema.

Único filme latino americano na seleção oficial de Cannes de 2020, CASA DE ANTIGUIDADES está em cartaz na 44a Mostra Internacional de Cinema e foi também exibido nos Festivais de Toronto e San Sebastian. Mencionado pela Revista Variety, como um dos cinco cotados para melhor filme internacional no Oscar 2021, terá uma estreia especial, por uma semana, no dia 19 de novembro, no Petra Belas Artes em São Paulo e assim garantir que possa ser elegível para o Academy Awards.

Sobre o Filme:

Em CASA DE ANTIGUIDADES, Antonio Pitanga dá vida a Cristovam, um homem simples do interior, que precisa mudar de cidade em busca de melhores condições de vida e trabalho. Porém, ele se depara com uma realidade que desperta, dentro dele, algo que antes não estava escancarado, sofrendo com a solidão e o preconceito dos moradores locais.

Em seu primeiro longa, João Paulo Miranda Maria, invoca os demônios invisíveis dos oprimidos através de um olhar, cheio de nuances, sobre o racismo sistêmico no Brasil moderno. O que acontece quando após décadas de abusos destroem a humanidade de Cristovam?

Um dos maiores atores do Brasil, Antônio Pitanga, diz que o papel de Cristovam “é um grande presente”. O ator que completou 80 anos recentemente, já esteve em Cannes em 1962, quando o Brasil levou a Palma de Ouro, pela primeira e única vez, com “O Pagador de Promessas” de Ancelmo Duarte, mas CASA DE ANTIGUIDADES deu a ele a oportunidade de ter outro filme em Cannes, agora como protagonista: “Cristovam é um homem do Brasil, um autentico trabalhador brasileiro e ter sido convidado por João Paulo Miranda Maria para interpreta-lo, me deu uma alegria imensurável, no auto dos meus oitenta anos, eu não poderia estar mais feliz”.

 

SINOPSE

Cristovam é um “caipira” do interior do Brasil que busca em outras terras melhores condições de trabalho. Mas, o contraste cultural e étnico da nova morada em relação à sua terra natal provoca no vaqueiro um processo de solidão e perda de identidade. Boatos e maldades dos habitantes locais o levam ao desespero e a decisões equivocadas, fazendo-o perder a razão e a lucidez. Sem saída, ele passa a reviver o passado para suportar o presente.